Hípica Centaurus

Horseball no Brasil

Tudo começou em meados na década de 90. O cavaleiro brasileiro, Paulo Canabrava, volta de Portugal trazendo na bagagem uma bola de horseball e um livro de regras.

Naquela época, a idéia de Paulo Canabrava, era fomentar o centro de treinamento Canabrava, situado no meio do Brasil, mais precisamente em Brasília. Ele se apaixonou pelo jogo e pelos benefícios que a modalidade proporcionava aos cavaleiros que a praticavam, por isso, introduziu o horseball em suas clínicas e cursos de equitação que ele promoveu por vários estados Brasileiros.

No entanto, foi na cidade de Boituva, as margens da Rod. Castelo Branco, interior de São Paulo, que o esporte se consolidou e vertiginosamente cresceu.

Naquela época, ano de 2000, a Hípica Centaurus dava seus primeiros passos e foi ali onde essa história começou a ser esculpida.

Logo aconteceram os campeonatos internos, depois os da cidade e foi lá nessa época que o horseball fez um campeonato com primeira e segunda divisão, além das categorias feminino e infantil.

Em 2002 foi criada a ABHB, unindo um grupo de atletas cavaleiros de Itu, Indaiatuba e Valinhos. Nessa ocasião, a Seleção Portuguesa, vice campeã européia,  representada por Frederico Canas, Joaquim Mota e Luís Matias, vieram ao Brasil para uma clínica básica de horseball.

Foram 5 dias memoráveis, várias dúvidas quanto a interpretação das regras, treinamento dos cavalos e dos jogadores foram ensinados. Saímos fortalecidos com os ensinamentos e ali naquele curso intensivo, decidiu-se preparar os melhores atletas brasileiros para no ano seguinte ir participar de uma clínica Avançada em Portugal, no Colégio Vasco da Gama, em Sintra, sede da equipe do mestre Francisco Campeão.

Vale ressaltar, no entanto, que na mesma viagem a delegação brasileira cumprindo sua programação na Europa, saí de Portugal e vai para a Espanha participar do Torneo Internacional de Vigo,um campeonato muito interessante pois toda a diretoria técnica da Fihb – Federação Internacional de Horseball, estaria presente para homologar ou não o Brasil como Membro competitivo da entidade que rege o esporte no mundo.

Por essa importância, hoje o sistema é direto e não requer mais essa avaliação,  existem outras formas disso ser feito, deixaremos aqui o nome desses dinossauros do horseball que participaram dessa grande e importante vitória para o esporte Nacional, são eles: Cadu, Carlos Eduardo Afonso de Souza;

Jeronimo Teixeira;
Gustavo, Carlos Gustavo Servilha Lopes;
Lucão, Lucas Thaddeu de Toledo Cesar Junior
Fred, Alfredo Amaral;
Cris, Cristiane Akime Uehara.

Scroll Up